WandaVision | Primeiras Impressões

Uma nova aposta admirável

Análise sobre os dois primeiros episódios da primeira temporada de “Wandavision” com Elizabeth Olsen e Paul Bettany, da Disney+, aqui no site Cebola Verde. Confira a ficha técnica do seriado:

Nome: Wandavision

Estreia: 15 de janeiro 2021 (Brasil) – 31min em média

Direção: Jac Schaeffer e Matt Shakman

Elenco: Elizabeth Olsen, Paul Bettany, Kathryn Hahn, Teyonah Parris, Emma Caulfield Ford

Distribuidora: Disney+

Gênero: Drama, Comédia, Ficção científica


Depois de um ano inteiro sem lançamentos das produções da Marvel Studios nas telonas e com a chegada do Disney+, a primeira produção na streaming do ratinho mais famoso do mundo chegou e com a corda toda. Wandavision é um marco para a empresa e, também, para os fãs de quadrinhos e amantes do cinema.

Estrelada por Elizabeth Olsen e Paul Bettany, Wandavision é um seriado de comédia que combina o estilo dos famosos sitcoms – sucesso na década de 1950 – com o Universo Cinematográfico da Marvel, na qual Wanda Maximoff e Visão, dois heróis que vivem uma vida suburbana ideal. Entretanto, nem tudo o que parece ser, é realidade.

Com a morte do Visão no último ato de Vingadores: Guerra Infinita (2018) por Thanos (Josh Brolin), Wanda Maximoff (Elizabeth Olsen) não assimilou muito bem o falecimento de seu amado. A ideia de uma realidade alternativa ainda é uma dúvida se foi construção da própria Wanda ou de uma outra entidade. O fato é que, este seriado Marvel já é considerado bem diferente do que vimos anteriormente. A forma como a trama é conduzida passeando por estéticas próprias de sitcoms clássicos, faz com que ela ganhe humor, referências e até mesmo carisma.

Com o lançamento de dois episódios, no total de nove, a série já possui um estilo. Como dito previamente, a trama possui estéticas de sitcoms norte-americanos. É bem emblemático isto. O figurino e o cenário são essenciais para a ambientação da década de 1950, pois os dois primeiros episódios são em preto e branco. Repito, algo muito diferente do que vimos até então com a Marvel. Os diálogos caricatos com as expressões faciais de uma dupla que se conhece, é o que faz a série ser ainda mais admirável. Enfim, a Marvel Studios acertou mais uma vez neste quesito.

O primeiro episódio é uma grande homenagem a I Love Lucy (1951). Wanda e Visão estão para comemorar uma data especial – ambos não sabem o que é –, porém, na área de trabalho, o androide arruma um encontro com o seu chefe, pensando que a data especial fosse isso. O tempo todo há piadas sobre o Visão – na forma humana – ser um computador, ter um parafuso a menos etc. Enquanto a Wanda prepara o jantar romântico para seu amado (ou não). Neste episódio, a personagem super importante para a série no geral, Agnes – interpretada pela Kathryn Hahn – é introduzida. Vale ressaltar a comédia boba, mas também as cenas de tensão que há em alguns momentos com a Wanda, a qual ela sabe estar vivendo em uma realidade paralela.

O segundo episódio é uma homenagem a A Feiticeira (1964). A abertura em cartoon e o show de talentos com mágica, a trama deste episódio tem como base a aceitação de Wanda e Visão em seu novo bairro, Westview. A personagem de Teyonah Parris é introduzida como Geraldine, todavia ela irá interpretar a Monica Rambeau no Universo da Marvel. Bem, curioso! E ainda assim, há símbolos da S.W.O.R.D. ao longo do episódio, destaques de cor, mesmo o episódio sendo preto e branco. Um fato a ser destacado é a possível introdução do personagem Eric Williams, conhecido como O Ceifador e com o nome heroico de Magnum, na abertura em cartoon.

Detalhes a serem visto durante a série: os comerciais que apareceram nas metades dos episódios, o suposto vilão – ou vilã – já está entre os nossos protagonistas, alguém quer falar com a Wanda da realidade verdadeira.

DESCASCANDO AO VIVO!
CURRENTLY OFFLINE