Rebeca lança carreira solo com a envolvente “Cinema Norte Americano”

Rebeca surpreende na primeira vez que você a ouve. Foi assim com os jurados do The Voice Brasil, com o público da banda Oriente, nos vídeos acústicos com a Barcamundi e também com o público de nova MPB da banda Gragoatá. E “Cinema Norte Americano”, single de estréia de sua carreira solo, traz novas experimentações estéticas sonoras marcantes. A faixa já está disponível nas plataformas de música digital, via Sagitta Records.

Ouça “Cinema Norte Americano”: http://smarturl.it/CinemaNorteAmericano

“Eu escolhi essa faixa como primeiro single porque sempre tive a ideia de ter uma música em que a voz e o ritmo estivessem em destaque, diferente de arranjos convencionais. Isso reflete também em artistas que eu sempre ouvi e buscava compreender a forma que eles construíam as estruturas harmônicas, como a Kimbra, Queen, Lorde, entre outros”, conta.

Nascida e criada em Niterói, Rebeca carrega em sua voz a personalidade única somada a uma doçura capaz de unir a cena da Nova MPB e o hip hop. Desde sua adolescência, frequentava lugares boêmios da cidade, especialmente a praça da Cantareira, espaço que promoveu o início de um intercâmbio com os artistas da cena local, como a parceria com o grupo Oriente, ao lançarem o hit “Linda Louca e Mimada” e outras três canções em um projeto acústico e a formação da Gragoatá, na qual Rebeca é vocalista.

A força de Rebeca sozinha, que encantou os jurados do The Voice Brasil 2015 (onde avançou até as oitavas de final) e as pessoas que viram seu trabalho com outros grupos, vai ser posta à prova no disco solo.

“A vontade de fazer um disco solo veio como um exercício de autoconhecimento do meu potencial como artista unido à intenção de explorar sons que não fazem muito parte do ambiente Gragoatá. Eu sempre gostei de R&B, hip hop, umas bandas experimentais. Como negar isso na hora de tentar explorar um som meu?”, explica Rebeca.

O disco tem tom atmosférico, que traz uma sonoridade envolvente e onírica a uma construção em base eletrônica com samples, loops e vozes, transformando a ambientação do universo do disco. Essa ecleticidade latente de personalidade forte da artista marca sua estreia solo.

O single “Cinema Norte Americano”  foi escrito por João Barreira a partir de uma melodia e palavras que não necessariamente faziam sentido. O compositor tentou juntar as expressões como o título da música e “fundo do mar” para contar uma história irreverente e original.

“Ele me mandou a letra cantada num beat simples falando que era a música mais sem pé nem cabeça que ele tinha feito. Tinha uma voz atrás fazendo contra-canto. Aí eu resolvi expandir as vozes para criar a base harmônica. Essa foi a primeira música que o Rodrigo (Martins, produtor do disco) ouviu e daí começamos a produção das músicas do álbum”, conta Rebeca.

“Cinema Norte-Americano” está disponível em todas as plataformas de música digital e o disco de estreia de Rebeca será lançado no segundo semestre de 2018.

“Eu acho que as músicas do disco retratam conflitos emocionais por meio de cenas cotidianas. O cinema é uma ferramenta de contar o desenvolver dessas histórias. É uma linguagem universal, que todo mundo tem uma relação especial. A interseção do cinema com a música é a forma com que eu resolvi tecer meu universo”, conclui ela.

DESCASCANDO AO VIVO!
CURRENTLY OFFLINE