Na contagem regressiva para Jurassic World 3, segredos vão sendo revelados

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp

Pode parecer ainda muito distante. E realmente ainda está bem longe. Especialmente para os ansiosos fãs da saga Jurassic World. Porém, a barreira dos 800 dias na contagem regressiva para o lançamento da terceira e última – será mesmo? – peça da trilogia foi rompida. Não que isso seja suficiente para acalmar os milhões de seguidores da franquia que gerou mais de US$ 1,3 bilhão (cerca de R$ 5 bilhões) em arrecadação nas bilheterias dos cinemas com seu segundo episódio: Jurassic World: Fallen Kingdom ou Jurassic World: Reino Ameaçado, na versão para o público de língua portuguesa, no ano passado.

Na prática, isso faz com que cada passo dos responsáveis pela criação do terceiro filme da série venha sendo acompanhado pelos sites especializados no setor de entretenimento. Afinal, quanto maior o número de pessoas envolvidas na produção, mais difícil fica manter os segredos. Assim, algumas informações a respeito sobre um dos maiores sucessos do cinema que tem por trás de sua produção Steven Spielberg, autor, dentre outros sucessos, do aclamado A lista de Schindler, acabam sendo reveladas.

Os mais apressados poderão ter um gostinho do novo filme provavelmente ainda em 2020. Porém, só no final do ano, em dezembro, para quando é esperada uma primeira versão do trailer, de acordo com informações publicadas pelo site especializado em cinema Digital Spy. Porém, um trailer mais robusto mesmo, daqueles em que é possível ter alguma ideia sobre o enredo só mesmo em abril de 2021, bem mais próximo do lançamento do filme. Como a expectativa em relação ao filme parece superar ao do episódio dois, quando houve pré-venda de ingressos para Jurassic World: Reino Ameaçado, a estratégia deverá ser repetida antes do lançamento do capítulo final

Atores principais estão confirmados

O mistério se estende também em relação ao início das gravações e as locações que serão usadas, mas nem tanto sobre quem estará envolvido nelas. Os atores Chris Pratt e Bryce Dallas Howard já acertaram seus contratos para viver o casal de personagens Owen Grady e Claire Dearing, protagonistas de Jurassic Park.

Ainda não há certeza, contudo, sobre a participação de Isabella Sermon, que viveu Maisie Lockwood, no episódio dois, ou mesmo de Jeff Goldblum, Dr. Ian Malcolm, que esteve na primeira trilogia e fez apenas uma pequena participação em Jurassic World: Fallen Kingdom.

Atrás das câmeras, também estará um velho conhecido da série. Caberá a ColinTrevorrow não apenas conduzir a ação como também escrever o roteiro. A novidade ficará por conta se sua parceira nessa missão. Emily Carmichael, roteirista de “Círculo de Fogo: A Revolta”, fará sua estreia na franquia.

Jurassic Park supera um quarto de século

Criada por Michael Crichton, Jurassic Park é a história da tentativa de criação de um parque temático habitado por dinossauros a partir da clonagem de um pterossauro. A experiência, naturalmente, acaba dando errado e os animais fora de controle provocam terríveis desastres. Embora o roteiro tenha recebido ressalvas da crítica, os efeitos especiais, considerados avançados para época, fizeram a diferença e conquistaram o público.

O primeiro filme foi lançado no cinema em 1993 e rendeu duas continuações: The Lost World: Jurassic Park (1997) e Jurassic Park III (2001). Foi acompanhado por um sucesso em muitas outras áreas que incluíram o lançamento de quatro parques temáticos de verdade com sedes em Hollywood e Orlando, nos Estados Unidos; em Osaka, no Japão; e na Ilha Sentosa, em Singapura, onde não houve registro, pelo menos até agora, de qualquer desastre causado pela fuga de dinossauros.

A retomada da invasão das telas aconteceu em 2013 com o relançamento de Jurassic Park, mas na versão em 3D. A conquista de uma nova geração de fãs deu o impulso para o início de uma segunda trilogia, que começou em 2015 com Jurassic Word e, em 2018, ganhou o acréscimo de Jurassic World: Fallen Kingdom. Para não contrariar a matemática, o próximo filme, poderia muito bem ser chamado de Jurassic Park 6.

Outra marca de Jurassic Park foi sua a invasão dos dinossauros em outras mídias, algo que não era tão comum nos anos noventa do século passado e acabou sendo adotado por praticamente todas as demais franquias desde então. Além dos parques temáticos, que foram a base para o enredo do filme e acabaram virando realidade, Jurassic Park virou inspiração para jogos de computador e smartphones como Ludia’s Jurassic World™: The Game; tema para o Betway caça-níqueis online em cassinos; peças de vestuário como chinelos de dedo Havaianas e, naturalmente, essa coleção de produtos deve crescer ainda mais com os licenciamentos que serão feitos a partir do terceiro episódio a ser lançado em 2021.

No episódio final, nada de guerra entre dinossauros e humanos

Embora os segredos em relação a como será o enredo do episódio final sejam os mais difíceis de serem quebrados, o próprio diretor de Jurassic Park 3 garantiu que o roteiro não será um filme de guerra entre humanos e dinossauros e servirá para amarrar todas as pontas soltas que a saga deixou nos filmes anteriores. Ou seja, abriu a possibilidade de que os animais que promoveram o terror nas histórias anteriores assumam agora o papel de salvadores da raça.

Porém, esse pequeno spoiler pode ser nada além de um teste para sentir a reação do público. Afinal, até que as filmagens comecem linhas e mais linhas são escritas na tentativa de encontrar um final perfeito para uma franquia que já arrecadou mais de US$ 5 bilhões com os cinco primeiros filmes e acredita-se posse colocar algo em torno de US$ 2 bilhões nos caixas das bilheterias no episódio derradeiro.

VOCÊ TAMBÉM PODE CURTIR