Arthus Fochi convida Duda Brack para cantar em Guarany

Single de cantor faz parte do projeto Ano Sabático.

O projeto Ano Sabático, que traz encontros do cantor e compositor Arthus Fochi ao lado de seus parceiros musicais, chega à sexta edição. Dessa vez, ele se une a Duda Brack no single “Tesouros Artificiais”, lançado pelo selo Cantores del Mundo e já disponível em vídeo e nas principais plataformas de streaming.

Unindo a estética latina presente no trabalho solo de Fochi às raízes da música brasileira na carreira de Duda Brack, a nova canção nasce de um encontro inusitado. Misturando o Português com o Guarani, Arthus coloca em pauta uma discussão vigente: o colonialismo.  Musicalmente, a composição também surge desses encontros – em meio ao groove moderno e pop, está o charango, instrumento andino e folclórico.

“O colonialismo não é mais discutido como algo pungente e severamenete condicionante, o mundo globalizado trouxe uma espécie de cortina para nossa reflexão a respeito do colonialismo. A letra desta canção pode ser também uma metáfora de um fim de relacionamento, é bem direta, como se estivéssemos vendo o encontro entre Europeus e Pré-colombianos numa narrativa ficcional. Essa cortina só disfarça a nova roupagem dada ao colonialismo, e isso, no que diz respeito ao comportamento (racismo, autoritarismo, etc), é muito presente no dia-a-dia da América Latina. Como diria Boaventura de Sousa, ‘A grande armadilha do colonialismo insidioso é dar a impressão de um regresso, quando o que regressa nunca deixou de estar'”, reflete Flochi.

Em 2017, Arthus lançou o álbum “Suvaco do Mundo”, que atesta a sua habilidade enquanto letrista e intérprete, tanto no violão quanto no vocal. Desde 2007, ele investiga sons e ritmos sul-americanos efetuados em residências artísticas em vários países. Essa busca ganhou contornos profissionais com Cantores del Mundo, selo cedido a ele em 2015 por Tita Parra, neta da folclorista icônica Violeta Parra. Hoje, a gravadora é gerida por Fochi com o produtor musical Guilherme Marques, e estende sua atuação por meio de parcerias no Uruguai, Argentina e Venezuela. Em Ano Sabático, a ideia é lançar canções ao lado de nomes conhecidos da música brasileira e de outros países da América Latina.

Após gravar com as revelações da música brasileira Julia Vargas, Juliana Linhares, Chico Chico e Ana Frango Elétrico e do cantor venezuelano José Delgado, Arthus Fochi completa a trinca do elogiado espetáculo “Iara Ira” ao receber Brack, que divide o palco com Vargas e Linhares.

Assista “Negra Mata”: https://youtu.be/4qyhLIWXfBo

Assista “Fidel Castro Não Morreu”: https://youtu.be/gkR6ZdzzGTU

Assista “Ronda na Mata”: https://youtu.be/Elexn-CRkP4

Assista “Águas Pluviais”: https://youtu.be/bf_F-xXN8G0

Assista “Escopa”: https://youtu.be/VfV6ad75KQY

“Não lembro exatamente onde conheci a Duda, mas sempre estivemos próximos da galera do selo Porangareté, e isso nos aproximou também, compartilharmos a mesma cena. Agora estamos já pensando em novos projetos. Ela se descobriu compositora também, o que aproxima mais ainda nós dois. Adoro fazer novas parcerias e a Duda é daqueles espíritos que vale a pena ter por perto sempre”, revela Arthus.

Ainda em clima de colaborações, o compositor assina a letra com Lorena Pipa e assume voz e charango. Guilherme Marques toca baixo, synth e teclas, enquanto Gabriel Barbosa fica a cargo da bateria.

O vídeo para “Tesouros Artificiais” foi dirigido por João F. Maciel e Cavanha Filmes; a mixagem e masterização ficaram por conta do Estúdio Frigideira e Gui Marques.

DESCASCANDO AO VIVO!
CURRENTLY OFFLINE