Foto: Reprodução/Universal Studios
Foto: Reprodução/Universal Studios

TBO Scott Pilgrim: a fase mais difícil é sempre a atual

Do flop ao top: como o filme de Edgar Wright cresceu com o público durante uma década

Última atualização:

Nós não somos a Sex Bob-Omb e estamos aqui para descascar mais um filme.

O TBO desta semana tem como intuito relembrar e enaltecer um filme que foi injustiçado na época de seu lançamento com uma bilheteria que sequer conseguiu se pagar. Em 2020 o filme “Scott Pilgrim contra o mundo” completa dez anos e, hoje, apesar de ser mais conceituado, ainda sofre com a galera que torce o nariz para a adaptação cinematográfica. E é por isso que vamos tentar fazer justiça à esta que é uma das melhores adaptações dos quadrinhos para a sétima arte. Descasque conosco.

Em 2010 o jovem cineasta inglês, Edgar Wright, teve a audaciosa ideia de levar para as telonas uma adaptação do quadrinista canadense, Bryan Lee O’Malley. Com um elenco talentoso e carismático, uma trilha sonora excelente, uma estética divertida, narração dinâmica e eficiente, um roteiro interessante, além de uma ótima direção, “Scott Pilgrim contra o mundo” tinha tudo para estrear como um hit. Porém, parece que o mundo estava mesmo contra a película. A Universal Studios apostava no longa e por isso investiu cerca de US$ 60 milhões no projeto – US$ 85 milhões se contar os impostos -, no entanto, a bilheteria não passou de US$ 47 milhões. Mas bilheteria nem sempre é sinônimo de qualidade e o caso de Scott Pilgrim é prova disso.

O filme – assim como os quadrinhos – tem fortes referências dos videogames e isso é tangível tanto no roteiro divido em fases, quanto na estética e também na trilha sonora. Este último é um dos aspectos mais interessantes do longa, pois é uma forma de prestar mais uma homenagem aos clássicos – de forma que os quadrinhos não conseguem – ao utilizar trilhas de jogos da franquia Zelda, por exemplo. Isso sem contar no som maneiríssimo da “Sex Bob-Omb” e as outras bandas fictícias do longa. Mas além da trilha, o filme é praticamente uma celebração do “8 bits”.

Foto: Reprodução/Universal Studios
Foto: Reprodução/Universal Studios

Os namorados de Flowers são representados através da repetição do “X”, seja atrás da personagem, no seu número, ou em outros enquadramentos. Parte do visual criado bebe na fonte da origem de Scott Pilgrim nos quadrinhos, incluindo onomatopeias, recordatórios em quadro e influências de mangá.

Personagens marcantes

É praticamente impossível não ser cativado pelos amigos de Scott (Michael Cera). Desde o sonhador Stephen Stills (Mark Webber); a baterista durona, Kim Pine (Alisson Pill); o inocente Young Neil (Johnny Simmons); a namorada colegial, Knives Chau (Ellen Wong); o colega de apartamento Wallace Wells (Kieran Culkin); a irmã fofoqueira, Satacey Pilgrim (Anna Kendrick); a ex-namorada e vocalista da banda “The Clash at Demonhead”, Envy Adams (Brie Larson); ou a grande crush de Scott, Ramona Flowers (Mary Elizabeth Winstead) todos, mesmo com poucas aparições, tem personalidades distintas e carimáticas. Percebeu o elenco estrelado? Isso porque nem chegamos à parte da “Liga dos Sete Ex-Namorados Malvados”…

Foto: Reprodução/Universal Studios
Foto: Reprodução/Universal Studios

Nesta lista temos como destaque o skatista e astro de cinema, Lucas Lee (Chris Evans); o baixista vegano e atual namorado de Envy, Todd Ingram (Brandon Routh); a única ex-namorada, Roxy Richter (Mae Whitman); e o chefe da liga, o abusivo, Gideon Graves (Jason Schwartzman). Cada um deles – e mais outros não tão marcantes – apresentam desafios para Scott superar como em um game, mas também traz aprofundamento para o relacionamento dele com Ramona.

Scott, inclusive, é um personagem imperfeito, cheio de falhas, que não se importa com o impacto de suas ações na vida das outras pessoas, mas ainda assim, sua luta continua cativante. Isso porque, por mais problemáticas que algumas atitudes dele podem ter, além de ser cômico, é entusiasmante acompanhar até onde ele vai para alcançar seus objetivos. Mais um ponto para a obra.

Melhor adaptação?

Talvez a única coisa que eu alteraria seria o final – o alternativo é mais coerente com jornada dos personagens -, mas não quer dizer que a versão que foi para as telonas desagrade. Apesar do elenco carismático e talentoso, nenhuma atuação realmente rouba a cena. “Scott Pilgrim contra o mundo” não é a melhor adaptação de quadrinhos, mas certamente é muito bem ranqueada. Mas além disso, o filme também pode se considerar um filme sobre videogames – o melhor de sua época, sem dúvidas – mesmo que seu material de origem seja em outra mídia. Assistir Scott Pilgrim, mesmo após dez anos, continua uma boa e divertida experiência.

Foto: Reprodução/Universal Studios
Foto: Reprodução/Universal Studios

“Nós somos a Sex Bob-Omb e estamos aqui para pensar na morte e ficar triste e outras coisas”.

Título: Scott Pilgrim vs. the World (Original)
Direção: Edgar Wright
Lançamento: 15 de Outubro de 2010 (Brasil)
Duração: 112 minutos
Classificação: 12
Elenco: Michael Cera, Mary Elizabeth Winstead, Jason Schwartzman, Kieran Culkin, Brie Larson, Chris Evans, Anna Kendrick e Brandon Routh.

Foto: Reprodução/Universal Studios
Scott Pilgrim contra o Mundo
O charmoso e desocupado Scott Pilgrim, baixista da banda de garagem Sex Bob-omb, acaba de encontrar a garota dos seus sonhos... literalmente. O único problema é que para conquistar Ramona Flowers, Scott terá que derrotar os sete ex-namorados do mal que pretendem matá-lo.
Atuação
Direção
Efeitos Especiais
Roteiro
Trilha Sonora
4
Notas
DESCASCANDO AO VIVO!
CURRENTLY OFFLINE