‘Espero Tua (Re)volta’ ganha prêmio da Anistia Internacional e da Paz no Festival de Berlim

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp

Produzido pela TVa2, o longa aborda as lutas estudantis a partir do ponto de vista de três jovens ex-secundaristas.

O documentário “Espero Tua (Re)volta”, dirigido por Eliza Capai, foi o vencedor do Amnesty International Film Prize e do Peace Film Prize do Festival de Berlim. O primeiro deles premia o autor do filme que melhor aborda questões relacionadas aos Direitos Humanos e, o segundo, coroa a produção que se destaca com uma poderosa mensagem de paz e execução estética habilidosa dos seus temas. O longa apresenta as lutas estudantis no ponto de vista de três jovens ex-secundaristas que participaram das ocupações de escolas paulistas em 2015: Lucas “Koka”, Marcela Jesus e Nayara Souza. E conta com material inédito, reportagens da época e imagens de arquivo das marchas e ocupações.

“Quando nós soubemos que fomos selecionados para o Festival de Berlim, já era o nosso grande prêmio. E saber que dentro da Berlinale a gente ganhou o prêmio da Anistia Internacional e o prêmio da Paz é uma honra e um alívio muito grande. É entender que um filme local, que se passa em São Paulo, consegue comunicar temas importantes para fora do nosso mundo. Esses prêmios são como um selo da importância social que esse filme tem”, comemora a diretora Eliza Capai.

O trailer mostra imagens de passeatas de estudantes, da ocupação de escolas, do congresso da UNE de 2017, entre outras. No filme, os três narradores relembram os eventos que começaram em 2013 até chegarem ao processo de impeachment de Dilma Rousseff em 2016 e à vitória do candidato à Presidência da República Jair Bolsonaro em 2018. O trio propõe diferentes olhares e vivências, mas têm em comum o ativismo por um ensino público de qualidade e uma cidade mais inclusiva. As lutas por direitos coletivos acabaram por lhes render também importantes conquistas individuais: a partir dos debates de feminismo, temas LGBT e de antirracismo realizados dentro das ocupações, os jovens transformaram suas relações e suas próprias formas de se verem e se apresentarem no mundo.

O filme é uma produção da TVa2, com coprodução da Globo Filmes/Globonews, através da Lei de Audiovisual, em conjunto com investimentos do Fundo Setorial (BRDE/Ancine), através de parceria com o Canal Curta! e distribuição da Taturana Mobilização.

VOCÊ TAMBÉM PODE CURTIR