‘Parasita’, de Bong Joon Ho, recebe seis indicações ao Oscar

15 de janeiro de 2020

Publicado por Volney Tolentino

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no Facebook
Compartilhar no twitter
Tuíte isso
Compartilhar no whatsapp
Enviar no Whatsapp

Longa ganhou o Critics’ Choice Award nas categorias Melhor Filme Estrangeiro e Direção.

Sucesso de público e crítica, PARASITA, de Bong Joon Ho, confirmou as expectativas e garantiu seis indicações ao Oscar® 2020: Melhor Filme, Direção, Roteiro, Filme Internacional, Montagem e Desenho de Produção. Na noite de ontem (12/1), havia novamente reiterado seu favoritismo à produção internacional, levando o Critics’ Choice Award de Filme Estrangeiro e empatando na categoria Direção.

Distribuído no Brasil pela Pandora Filmes e pela Alpha Filmes, o filme está em cartaz nos cinemas e já foi conferido por mais de 200 mil pessoas, num boca a boca crescente. PARASITA foi o grande  vencedor do último Festival de Cannes, levando a Palma de Ouro por decisão unânime do júri, e desde então vem acumulando prêmios, como o Globo de Ouro de Melhor Filme Estrangeiro.

Na trama, todos os membros de uma família estão desempregados e vivendo na miséria, até que o filho mais velho arruma emprego como professor de uma garota rica e o contato dessas pessoas com a vida de luxo e glamour as leva a fazer o necessário para ascenderem socialmente.

Assim como nos longas anteriores do diretor, a crítica social está presente em PARASITA, desta vez ainda mais forte ao questionar o estado da sociedade atual e a impossibilidade de pessoas de diferentes classes viverem juntas em um relacionamento simbiótico. E é a partir dessa premissa que Joon Ho definiu o título do filme: “há pessoas que esperam viver com outras de uma forma coexistente, mas isso não funciona, então elas são empurradas para uma relação parasitária. É um título irônico“, diz.

As duas famílias nesta história têm algumas coisas em comum, sendo ambas compostas por quatro membros com um filho e uma filha. Mas, em suas vidas cotidianas, ocupam dois extremos completamente diferentes. Joon Ho define esses dois núcleos: “os Kim são uma família de classe baixa que vive num apartamento no subsolo, com apenas a esperança de uma vida comum. O pai falhou nos negócios, a mãe sonhava ser atleta e nunca conseguiu e o filho e a filha tentaram entrar para a universidade diversas vezes sem sucesso. Em contraste, a família do Sr. Park, que trabalha como CEO de uma empresa de TI e é workaholic. Ele tem uma bela e jovem esposa, uma linda filha no Ensino Médio e o filho pequeno. Eles podem ser vistos como uma família ideal de quatro membros entre a elite urbana moderna“.

Com PARASITA, o diretor quis “retratar a contínua polarização e desigualdade de nossa sociedade. Estamos vivendo uma época em que o capitalismo é a ordem reinante e não temos alternativa. Isso no mundo inteiro. Na sociedade capitalista de hoje, existem castas que são invisíveis aos olhos. Nós tratamos as hierarquias de classe como uma relíquia do passado, mas a realidade é que ainda existem e não podem ser ultrapassadas“, explica.

O filme é em partes engraçado, assustador e triste e mostra as inevitáveis rachaduras que aparecem quando duas classes se enfrentam na sociedade cada vez mais polarizada de hoje. PARASITA leva o público a pensar. Um dos longas mais aclamados do ano, exibido em dezenas de Festivais, e uma aposta certa na temporada de premiações em 2020.

© 2020. Cebola Verde - "Versão 4.0: Cebolovers" / Developed by Mattz

DESCASCANDO!
CURRENTLY OFFLINE