Com equipe 100% negra e consolidando carreira internacional, Luciane Dom lança clipe gravado em NY

Artista será uma das atrações do Brasil Summerfest 2019.

Luciane Dom chamou atenção em 2018 com seu álbum de estreia, “Liberte Seu Banzo”, mesclando música brasileira ao new jazz, reggae e R&B. Agora, a artista carioca dá um novo passo na carreira ao lançar o novo single e clipe “Some”. Gravado nas ruas de Nova York, o vídeo comprova a sonoridade sem fronteiras e limites de Dom, que está atualmente em sua segunda turnê americana e será uma das atrações do Brasil Summerfest 2019 em Manhattan, em 23/07, ao lado de nomes como Alceu Valença, Casuarina, Cordel do Fogo Encantado, Duda Beat, Luedji Luna, entre outros. “Some” já está disponível no YouTube e nas plataformas de streaming de música.

Ouça “Some”: http://smarturl.it/LucianeDomSome

2019 será o momento de consolidação da carreira de Luciane Dom em nível internacional. Considerada uma das novas vozes da música brasileira, ela realizou em 2018 uma série de shows pelos Estados Unidos, passando por seis cidades: além de Nova York, se apresentou também em Baltimore, Orlando, Washington, Charleston e New Smyrna, após ser selecionada por um edital de música patrocinado pelo governo americano. Para este ano, além do Brasil Summerfest, Dom realizará uma turnê pelo Chile no final de setembro.

Explicitando o caráter multicultural de seu trabalho, Luciane Dom uniu em “Some” uma produção musical assinada pelo húngaro Szabi Bognar e pelo brasileiro Rodrigo Ferreira. Já para a gravação do clipe, a artista voltou a promover o protagonismo tão presente em seu trabalho, contando com uma equipe formada apenas por profissionais negros. O single se soma ao samba-canção “Seu Bem”, tanto como lançamento independente, para além do álbum “Liberte Seu Banzo”, quanto na temática: ambas as canções abordam relacionamentos abusivos.

“Esse som dialoga com as pautas atuais, sobre liberdade e a necessidade de ter relações que nos fazem sentir melhores, e não as destrutivas; fala dessa urgência em respirar e dizer ‘não’ para coisas não nos fazem bem. Quando as pessoas escutam, muitas delas se identificam com situações que já passaram, e eu mesma, por mais que não tivesse falando sobre algo meu, às vezes me sinto identificada com a letra quando encontro essas situações destrutivas, daí eu fujo delas. Esse som é pra gente aprender a aceitar o que é bom pra nossa cabeça, pro nosso espírito, pra nossa alma, e a dizer ‘chega’ quando as coisas passam dos limites”, reflete a artista.

Em “Some”, Luciane se dedica a um novo desafio: cancioneira tradicional, ela explora pela primeira vez uma composição com bases eletrônicas, que reaparecerão em seus próximos lançamentos. O clipe se une a uma videografia já elogiada. “Seu Bem” foi o primeiro registro em vídeo. Do álbum “Liberte Esse Banzo”, vieram “Quanto Pesa” e “Todo Cuidado”, este último em animação e atualmente disputando o Prêmio Profissionais da Música. Tudo isso para falar de amor, afeto, cotidiano, mas também de militância feminina e negra de uma forma que soe pop e contemporânea.

Após dividir palcos com Luedji Luna e Vox Sambou (Haiti); colaborar com Rubel, Shahzad Ismaily e Akiniemy (NYC); facilitar workshops de música e improvisação no Crossroads Juvenile Center (Brooklyn) e Kennedy High School (Bronx); e palestrar sobre música brasileira contemporânea na The College of Charleston, Luciane Dom prepara outras novidades ainda para 2019.

Volney Tolentino

Jovem dinâmico, que detém o poder central dos Cebolas Verdes; Um clã no interior (sigilo) da imensa África Subsaariana. Sua missão é fazer o bem como designer, crítico de cinema, professor de inglês e amante esportivo.

Estamos ao vivo!
CURRENTLY OFFLINE