“O Inferno é Aqui” será lançado na Bienal do Livro do Rio de Janeiro

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp

André Schuck traz para o evento obra insana e perturbadora que impacta pela narrativa, imagens e ilustrações.

Impactante, inovadora e perturbadora. É assim que a mais recente criação do escritor, cineasta e publicitário André Schuck é classificada. O Inferno é Aqui já tem o lançamento marcado: será na XIX Bienal Internacional do Rio – 2019, no estande da Editora Coerência. O autor estará no evento nos dias 31 de agosto e 1º de setembro.

A história é contada em três formatos: literatura, ilustração e fotografia. Ao trabalhar com essas três mídias, o autor consegue amarrar a trama e ajudar o leitor a entrar na vida do personagem principal. “Quis fazer uso delas de uma maneira que a narrativa do texto parecesse o mais verdadeira possível. Uma dando suporte a outra para impactar e levar a história adiante”, revela.

O livro conta a história de um psicopata que convive com demônios. Ele e sua esposa sequestram uma garota acreditando ser a reencarnação da filha que perderam ainda na gravidez, devido ao abuso de drogas. Ao mesmo tempo que tentam conquistar o amor da criança, terão de sobreviver a uma caçada policial pelo país. Essa não é a maior ameaça. Ambos embarcam em uma jornada de loucura e assassinatos. E os demônios? Eles ajudam, mas em troca querem a alma da garota.

Fã de Stephen King, André já escreveu livros publicados no Brasil e em Portugal, dirigiu curtas-metragens finalistas em festivais internacionais e editou o longa-metragem Attachments, uma comédia romântica produzida em Los Angeles. Seu agente literário, Felipe Colbert, classifica o livro como uma mistura estética do cineasta Rob Zombie com o filme de Oliver Stone, Natural Born Killers. O cineasta já esteve com algumas celebridades que representaram o mundo sanguinário do terror: Linda Blair (O Exorcista) e Robert Englund, famoso por interpretar o vilão Freddy Krueger no cinema.

Como é de se imaginar, uma obra com diferentes mídias requer um trabalho impecável de produção. Especialista em dirigir cenas, o escritor realizou com auxílio do parceiro de produção, Bruno Frede, artista de vfx, uma exaustiva sessão fotográfica, com 15 horas de duração – 12 para a produção das imagens e três para limpar o sangue cenográfico do set fotográfico.

O Inferno é Aqui também contou com os traços da ilustradora Suzana Saito que deu vida às cenas insanas que completam a narrativa com textos e fotos.

VOCÊ TAMBÉM PODE CURTIR