Predadores Assassinos | Crítica

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp

Análise sobre o filme “Predadores Assassinos”, da Paramount Pictures (convite da Paramount Pictures BR), aqui no site Cebola Verde. Confira a ficha técnica da trama cinematográfica:

Nome: Predadores Assassinos (Crawl)

Estreia: 26 de setembro de 2019 (Brasil) – 1h 28min

Direção: Alexandre Aja

Elenco: Kaya Scodelario, Barry Pepper, Morfydd Clark, Ross Anderson, Anson Boon

Gênero: Terror

Distribuidora: Paramount Pictures


O filme “Predadores Assassinos” é a aposta de terror da Paramount. Pode se dizer que concluíram, ou melhor, Alexandre Aja concluiu com êxito a nomenclatura de gênero de terror. De tal modo que, foi entregue ao espectador um drama sólido e bem fechado. Então, quando a Flórida é vítima de um imenso furacão, os tsunamis levam todos os habitantes a evacuarem o local. Mesmo assim, a jovem Haley (Kaya Scodelario) se recusa a sair de casa enquanto não conseguir resgatar o pai, gravemente ferido. Aos poucos, o nível da água começa a subir, Haley também se fere e tanto ela quanto o pai precisam enfrentar inimigos inesperados: gigantescos crocodilos que chegam com as águas.

O cineasta francês Alexandre Aja é conhecido por dramas de terror, alguns deram certo e outros nem tanto, porém o rapaz possui conhecimentos acerca deste gênero. O uso dessa experiência em Predadores Assassinos foi importante em diversos aspectos, como por exemplo, jumpscares — aquele breve momento que uma pessoa “pula” da poltrona — muito bem situados, ou seja, que funciona. Ao contrário do que estamos acostumados a ver em filmes de terror com espíritos, monstros, palhaços etc, esta obra do Sr. Aja foge completamente do nicho medonho e parte para o princípio do réptil gigante feroz. Os jacarés, ou crocodilos, são as ameaças. Por sua vez, eles também conseguem ser bem representados ao longo do filme com características similares à vida real.

Um nível de violência absurda que não se preocupa com limite, é horrenda ao extremo! Visto que, pode conter desconforto visual em diversas cenas, apreensão e tensão. Características fundamentais para que um filme de terror funcione. Entretanto, alguns efeitos visuais, ao grosso modo, não foram muito bem utilizados no início. E uma edição comprometida, mas que falha em certos momentos em si mesma.

O filme se preocupa em explicar tudo o que acontece, e também, o que acontecerá. Nenhuma pergunta fica sem resposta, ou seja, Alexandre Aja se preocupa com os mínimos detalhes e futuros debates sobre o comportamento dos répteis. Todas as teorias são refutadas, menos alguns clichês bobos de filme de terror que leva a mocinha a fazer tudo errado. Infelizmente, isso está presente na trama.

A famosa atriz Kaya Scodelario (Piratas do Caribe: A Vingança de Salazar) é a nadadora universitária Haley. Pouco sabemos sobre o que é a personagem, apenas alguns flashbacks de sua competição dos juniores, cuja jovem puxa a conexão com seu pai, Dave Keller (Barry Pepper). No meio de tanta confusão, a parceria funciona.

Diante dos fatos supracitados, “Predadores Assassinos” é um filme violento com bastante tensão e terror. Um pouco traumático também encaixaria em diversos sentidos. Então, o drama é bem amarrado e funciona completamente, sem deixar perguntas soltas; autoexplicativo. Como também, não é um filme com tese ou soluções problemáticas, apenas terror.

Notas
  • Atuação
  • Direção
  • Edição
  • Efeitos Especiais
  • Roteiro
  • Trilha Sonora
3.3

Sinopse

Quando a Flórida é vítima de um imenso furacão, os tsnunamis levam todos os habitantes a evacuarem o local. Mesmo assim, a jovem Haley (Kaya Scodelario) se recusa a sair de casa enquanto não conseguir resgatar o pai, gravemente ferido. Aos poucos, o nível da água começa a subir, Haley também se fere e tanto ela quanto o pai precisam enfrentar inimigos inesperados: gigantescos crocodilos que chegam com as águas.

VOCÊ TAMBÉM PODE CURTIR