Super Writers Room | Série de animação faz sátira com super-heróis roteiristas

Primeira temporada da produção nacional já está disponível gratuitamente no YouTube

Última atualização:

Ao contrário de Bruce Wayne, a maioria dos super-heróis não nasceu em berço de ouro: a maioria deles precisa se virar para pagar as contas.

É o caso de Estranho Erik, Capitão Tijuca e Irritável Vitor, roteiristas da Super Writers Room. Com seus superpoderes, o trio vende roteiros e compete em editais diante de demandas impossíveis de clientes malucos ou sobrenaturais. Esta é a premissa da websérie de animação adulta “Super Writers Room”. Os quatro episódios que formam a primeira temporada já podem ser assistidos gratuitamente no Youtube. Uma live com os criadores acontece no dia 25 de abril de 2022, segunda-feira, às 19h, no Instagram da série @superwritersroom.

A cada capítulo acompanhamos os “jobs” dos super roteiristas Estranho Erik (Roberto Rodrigues), Capitão Tijuca (Jorge Hissa) e Irritável Vitor (André Falcão, que também assume o posto do Narrador). A produção mescla animação e live-action em um formato que lembra o icônico “Space Ghost Costa à Costa” (1994). Enquanto os heróis são desenhados, seus clientes são convidados especiais que aparecem “em pessoa”. São eles: Didi Braguinha (“Matando Robôs Gigantes”), Rafael Studart (“De Quem é a Vez?”), Manuela Cantuária (“Porta dos Fundos”, “As Seguidoras”) e Hernani Heffner (Cinemateca do MAM).

Os episódios, criados e escritos por Erik Hewitt, Gustavo Colombo e Vitor Pimentel, são inspirados em situações inusitadas que surgiram em salas de roteiro nas quais participaram. Por isso, a série é cheia de referências e piadas sobre a profissão e o próprio setor audiovisual brasileiro. No episódio de estreia “O roteiro que era pra ontem”, os heróis precisam encontrar um meio de viajar no tempo para entregar o texto no dia anterior. Irritável Vitor tem super velocidade de roteiro, Estranho Erik viaja para outras dimensões e Capitão Tijuca aparentemente não tem poder algum, mas é o primeiro a aceitar as missões.

A produção é da Causos, em coprodução com a Tijuca Filmes (antiga Cinema Petisco) e com os estúdios de animação Duda Creative e Akom Studio. O financiamento é da Lei Aldir Blanc pela Secretaria de Cultura do Estado do Espírito Santo, pelo programa Cultura nas Redes. A direção de animação é de Duda Campos e a produção executiva é de Guilherme Ripardo. A série também conta com trilha original de Rogério da Costa Jr e Gustavo Salgado e finalização de som de Ernesto Sena.