Novo recorde: dobrou a receita com exportação de jogos de empresas do Brazil Games em 2018

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp

As 114 empresas participantes do Projeto de Exportação Brazil Games, uma parceria da Abragames com a Apex-Brasil, geraram 52,7 milhões de dólares em divisas para o país.

As exportações das empresas do Projeto Brazil Games, uma parceria da Associação Brasileira das Desenvolvedoras de Jogos Digitais (Abragames), com a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil), bateu novo recorde em 2018. Ao todo, as 114 empresas participantes do Projeto exportaram US$ 52,7 milhões de dólares, fruto da produção de jogos próprios e prestação de serviços, artes, live opps, co-produções, consultoria, publishing, entre outros. De 2017 para 2018, a exportação das participantes do Brazil Games cresceu 132,15%, saltando de US$ 22,7 milhões para US$ 52,7 milhões.

Durante os últimos quatro anos do Projeto de Exportação Brazil Games, o número de empresas exportadoras cresceu 107%: de 2015 a 2018, o total saltou de 55 para 114 participantes. O volume de exportação apresentou um crescimento ainda mais significativo, com 379% de aumento, no mesmo período: de US$ 11 milhões para US$ 52,7 milhões. .

Segundo Eliana Russi, gerente executiva do Brazil Games, as empresas associadas ao projeto amadureceram muito nos últimos cinco anos, e ganharam experiência e competitividade no mercado externo. O resultado foi o crescimento das exportações. “O nosso trabalho de promover os jogos nos principais mercados de game internacionais – como o americano, o europeu e o canadense – tem sido fundamental para chegarmos nesse resultado,” comemora Eliana Russi. “O Brasil hoje é reconhecido mundialmente como um player do mercado de games, conseguimos isso devido à competência dos nossos empresários e ao apoio da Apex-Brasil.”

 

Expectativa de crescimento

Na lista dos países com maior faturamento dentro da indústria de jogos, a China, Estados Unidos e Japão ocupam as 3 primeiras posições. O Brasil ocupa a 13ª posição, com faturamento de US$ 1,5 bilhão em 2018 e projeção de crescimento médio a taxas de 13,5% ao ano, portanto acima da média mundial. Na América Latina, o Brasil está atrás somente do México, com US$ 1,6 bilhões de faturamento anual. Já quando se observa o número de jogadores, o Brasil decola: são 75,7 milhões de pessoas ligadas em games. O Brasil ocupa a quarta posição no ranking global de países em número de consumidores de jogos. A divergência na posição ocupada pelo Brasil em termos de números de consumidores e faturamento é um forte indicador do potencial de crescimento da indústria de jogos digitais no país. O recente relatório de tendências da PriceWaterhouseCoopers apoia esse indicador ao afirmar que a indústria de jogos eletrônicos vai liderar o crescimento da Indústria Criativa do Brasil, com 16,57% de crescimento acumulado no período de 2016 e 2021. Os setores de Áudio e Cinema devem crescer, no mesmo período no Brasil, 8,03% e 6,82%, respectivamente. O setor de Jogos Eletrônicos será, portanto, a área responsável por alavancar a Indústria Criativa no Brasil nos próximos três anos.

VOCÊ TAMBÉM PODE CURTIR