Varney questiona universos internos e externos no clipe “Saudade”

Canção de teor niilista fecha o álbum “Fantasma” (2016).

Cenas que parecem abstratas e aos poucos se mostram como pedaços de um todo; pedaços microscópicos em comparação ao universo que nos cerca. Foi pensando nessa dualidade que a banda banda fluminense Varney buscou inspiração para fazer o clipe da intimista faixa “Saudade”. A música fecha o álbum “Fantasma”, que a banda lançou no fim de 2016.

Ouça a faixa: http://bit.ly/VarneySaudadeSpotify

“Do nano ao macro, tentamos mostrar que somos partes pequenas demais na história do todo, que nada importa tanto na verdade. E se nada importa, o que vale é aproveitar ao máximo o que temos”, conta Thiago Corrêa, cantor, compositor, guitarrista e criador do projeto, baseado em Campos dos Goytacazes.

Além dele, estão presentes nesse single Bruno Soares (guitarra), Bernardo Arenati (baixo) e Mathias Vaz (bateria). No vídeo de “Saudade”, existem cenas de uma cirurgia de retirada de melanoma pela qual passou um dos membros da equipe da banda, detalhes dos instrumentos, das mãos de Thiago, de discos favoritos, em oposição com cenas ao vivo.

O niilismo e a desesperança são alguns dos temas principais do álbum “Fantasma”. Inspirados no trabalho do português Fernando Pessoa, que escreveu o poema “Tabacaria” sob um dos seus heterônimos, Álvaro de Campos, a Varney compôs 11 canções influenciadas pelas ideias deste que é um dos textos mais celebrados da obra de Pessoa.

“‘Saudade’ foi a última canção escrita para o álbum. Depois de todas as músicas estarem praticamente mixadas, sentíamos que faltava uma música de despedida e um fechamento adequado para o tema do disco. Gostamos muito dela e achamos que tem uma forte carga emotiva, contextualiza a questão do niilismo e deixa dúbia a ideia do vazio e como isso é observado em cada pessoa”, conclui Thiago.

DESCASCANDO AO VIVO!
CURRENTLY OFFLINE