Rodrigo Zin apresenta “Grana Azul” no Estúdio 172 Sessions

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp

Artista curitibano fez medley de músicas de seu novo álbum.

O cantor, compositor e produtor musical curitibano Rodrigo Zin lança sua participação no projeto Estúdio 172 Sessions com um medley de seu ousado novo álbum “Grana Azul”. As novas faixas caminham entre o alternativo e o pop com influências da MPB e até da música gospel para contar uma distopia conceitual que se reflete no Brasil atual. No estúdio paranaense, ele interpretou “Grana Gama & Lana”, “Coroas & Violinos” e “Caroço”. O resultado está disponível no YouTube.

Ouça o álbum “Grana Azul”: http://smarturl.it/RodrigoZinGranaAzul

Rodrigo Zin fez de seu novo trabalho um épico rap sobre um mundo pós-apocalíptico e sua relação com o afeto e perdas pessoais. É uma realidade de um planeta sem água, com humanos sujos que só vivem pelo dinheiro e tentam sobreviver sob um céu vermelho, este manchado pela poluição das empresas.

“Acho que a principal dificuldade de trazer esse clima conceitual do disco para a sessão ao vivo é o lado teatral, de me tornar parte da história e consequentemente, um personagem. Busquei a essência do disco com essas faixas que mostram o pouco de como é a minha performance. Ao apresentar as músicas, pensamos na fluidez e na progressão dos sons”, conta Rodrigo Zin.

Unindo MPB com trap em seu rap experimental, Rodrigo é uma das revelações do hip hop nacional. Designer de formação e interessado por artes visuais desde a infância, sua jornada na música, artes e hip hop surgiram juntas. Ele começou a compor letras de rap e rock no começo da adolescência, seja criando histórias ou se influenciando pelo mundo à sua volta. Com o passar dos anos, foi se dedicando aos estudos de produção musical e vocal e encontrando a sua voz. Rodrigo Zin foi integrante da primeira formação do Som 172, grupo de rap que foi o berço para o estúdio onde foi gravada a live session.

Hoje, o artista mistura a poesia do cotidiano de nomes da MPB como Los Hermanos e Cícero com a brasilidade de Criolo, a produção recheada de samples no estilo Papatinho e Kanye West e a busca pelo novo de artistas como Donald Glover/Childish Gambino, Frank Ocean e Jaden Smith. Essa mescla de referências se reflete no disco “Grana Azul”.

Após dois EPs (o indisponível “Depois de Tudo”, de 2013, e “Canções para Você”, de 2016), tudo mudou em 2018, quando Rodrigo Zin gravou e lançou três álbuns. Dois deles, “Francisco Oceano” e o “Fazendo Grana Pro Meu Filme”, contam a história do personagem Imortal, chamado “Ninguém”, da Vida e da Morte – e explica como o mundo está em colapso por causa das poluições (sejam figuradas ou não).

No fim do ano passado, Rodrigo lançou “Fazenda Diamante”, disco colaborativo com o produtor renomado Will Diamond focando numa pegada trap e foi coroado como Artista Revelação do ano pelo Genius Brasil.

Com co-produção de Slashrr e .enzo, o álbum conta com participação especial de GABZ, Tuyo, FBC, Aka Rasta, Delatorvi, WIU, Nanda Oliveira (N/O), Bruno Nix, Sotam, Young Daddy, Isabella Assumpção, Cidrais, Scarp, Ardlez, Makida, Lil Pitch, Johaine, niLL, NEGUS, .enzo e Chediak e está disponível em todas as plataformas de streaming.

VOCÊ TAMBÉM PODE CURTIR