Chapecó-SC desbrava o indie em festival de relevância nacional

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp

Em abril acontece em Chapecó, interior de SC, um festival que caberia bem em qualquer capital brasileira.

Magnólia Festival foi anunciado para o dia 12.04, no Complexo Amazon, com o Cloud Nothings (EUA) como headliner e mais um lineup de peso: Dingo Bells, Terno Rei, Disaster Cities, Defalla, Repolho e Frankenchrist.

As aventuras do interior por gigs internacionais é algo raro de acontecer, mas que normalmente termina em shows célebres, justamente pela carga inédita do evento. A virada dos anos 90 para os anos 2000 foi especial neste quesito, quando Man or Astro-man?, Fugazi e Stephen Malkmus, entre outros, fizeram shows no interior.

O pessoal da Balaclava Records que coordena a turnê sul-americana do Cloud Nothings já fez destas também, quando por exemplo, colocou o Sebadoh pra tocar em Maringá, em show inesquecível, lá em 2014. Fora que sempre fica aquela aventura de desbravar uma cidade nova.

SOBRE O LINEUP

Cloud Nothings fez dois dos principais discos desta década, com seguidas turnês mundiais, passagem pelo programa do Jimmy Fallon na principal emissora aberta dos EUA. Presença constante na lista de melhores álbuns de praticamente todos os veículos internacionais.

Dingo Bells consta em todas as listas de especialistas brasileiros dos melhores discos de 2018, tocou no Lollapalooza em 2016.

Terno Rei lançou álbum esse ano e recebeu elogios acalorados de todos aqueles que escrevem sobre música neste país, destaque para a Popload de Lúcio Ribeiro.

Defalla vem da primeira geração do rock grande do sul, na mesma turma de onde veio Engenheiros do Hawaii, TNT, Replicantes e Garotos da Rua. 

Repolho já foi definida por Alexandre Matias“se há uma banda que colocou Santa Catarina no mapa musical e no cenário pop brasileiro, ela chama-se Repolho”. Defalla e Repolho montam o lineup de bandas que já fizeram história e que ajudam a contar a história do pop no sul do país.

Disaster Cities envolve membros de Chapecó e RN, se aliou a ONERpm e tem feito shows de destaque incluindo noites no DoSol, presente na lista de melhores álbuns do TMDQA.

Frankenchrist saiu no maior periódico musical argentino, Indie Hoy.

A CENA EM CHAPECÓ

A movimentação pela cidade começou em 2017, quando o coletivo de funk-eletrônico carioca Heavy Baile tocou na cidade do time da Chape.

Ainda naquele ano vieram Colleen Green e seu indie pop de L.A..
Em 2018, o movimento resultou em uma avalanche de shows para uma cidade de interior: Boogarins, Francisco El Hombre, Selvagens à Procura de Lei, Carne Doce, Supervão, Frabin, Alpargatos, Valentim, Subburbia.

Sempre mesclando com o celeiro de bandas locais que são competentes e dignas para voar além da região, como: John Filme, Amanda Cadore, Carlota Joaquina, Carpanos, Frankenchrist e a própria Disaster Cities ou a clássica Repolho, marcadas para o próximo evento.

Sem dúvida nenhuma nosso primeiro show em Chapecó foi algo muito especial. Foi muito maluco ver gente de várias cidades próximas que dirigiram, pegaram ônibus,  que gostavam e conheciam o som da banda desde o começo e que estavam animadas com a possibilidade de assistir pela primeira vez.” Dinho, do Boogarins
 
“”Tocar em Chapecó foi excelente. Pra nós significou também que estamos aprofundando nossa relação com o Sul, ocupando essa região, ampliando nosso alcance. E me parece que o festival também é uma primeira vez da cidade, e a produção mandou bem.” Salma, do Carne Doce
 
“Já faz mais de dez anos que a Carlota toca por aqui,  é gratificante perceber que agora está se estabelecendo uma abertura consistente pro som alternativo. O combustível que a gente tava precisando pra ir mais longe.” Eduardo, da Carlota Joaquina

INGRESSOS

ingresso de segundo lote custa R$ 80,00. Ainda contará com espaços de artes visuais, praça de gastronomia, cervejas artesanais, espaço de artes visuais e ativações dos patrocinadores, Unochapecó e Nordus Cervejaria.

CAUSA SOCIAL

Ainda tem o ingresso solidário para quem não tem direito a meia pagar apenas 5 reais a mais e ajudar em uma causa social. Em eventos anteriores, fizemos parcerias com o Programa Viver de Chapecó, que atende crianças em situação de vulnerabilidade social e com a ONG Amparo Animal, que cuida dos bichinhos abandonados em nossa região.

No próximo evento nos aliamos a campanha para erradicação da Poliomielite no mundo, onde cada vacina custa 60 centavos de dólar, então a cada ingresso vendido, garantimos duas crianças imunizadas para o resto da vida

LOCAL

O local é a Amazon, casa que figura entre as 50 melhores do Brasil, pela House Mag, em área cercada por verde em reserva protegida pelo IBAMA, há apenas 11 km do centro de Chapecó. A cidade de Chapecó conta com infraestrutura de aeroporto para receber o público de fora, com voos diretos de São Paulo, Floripa e Porto Alegre. A cidade ainda conta com hotéis, infra de UBER, taxi, garupa e bus.

Mais informações em: www.magnoliafestival.com.br

VOCÊ TAMBÉM PODE CURTIR