Camões convida para um brinde à beira mar no novo álbum, “Drink Club”

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp

Cantor carioca convoca Zé Ibarra, Luíza Boê, Bruna Croce e Luluca para uma sociedade etílica com canções que vão do R&B ao boogie.

s” (2018), o artista carioca construiu o novo trabalho a muitas mãos, reunindo amigos para noites musicais permeadas por explorações sonoras e etílicas. O resultado é uma coleção de oito canções embebidas em uma sinceridade ácida mergulhada em referências oitentistas e, ao mesmo tempo, modernas.

Ouça “Drink Club”: http://milkdigital.lnk.to/DrinkClub

No meio do ano passado, Camões e seus parceiros de banda foram para Búzios pegar uma praia e gravar algumas tracks. Eis que, entre sintetizadores e biritas, acabaram idealizando esse novo projeto: uma sequência de singles que culminaria num álbum. Após os EPs “Cupim” e “Anilina” e seu disco de estreia “Flôres”, trabalhos que enfatizavam mais a solitude do autor, Camões quis expor seu lado mais solar e agregador. Por isso, mais da metade das faixas de “Drink Club” conta com participação de amigos queridos do cantor. Esse encontro gerou a série documental “Aperitivo”, lançada no IGTV e posteriormente no YouTube, onde é possível acompanhar todo o processo criativo e de produção.

Bruna Croce abre o disco em “Pra ver o mar”, tendo colaborado desde a concepção com os talentos de pianista e arranjadora, até nos vocais com seu timbre aveludado; Luíza Boê, cantora capixaba que chamou atenção recentemente com o EP “Terramar”, surge em “Baby bem”; Luluca traz uma vibe R&B com sua harmonia vocal na canção “Vc Nem Imagina”; e, por fim, Zé Ibarra, da banda Dônica, que escreveu junto de Camões a canção “Abraço Laranja”, a interpreta num dueto intenso.

Entre o disco anterior e o mais recente, Camões ofereceu um teaser de seus novos caminhos em forma de singles. O compacto “Na Piscina de Posse” trouxe “Tá Na Cara” e “Segredo”, canções de seu primeiro EP características por um uso inovador do violão de nylon, em formato ao vivo dançante. Logo em seguida, uma sequência de EPs antecipou algumas das canções que habitariam o novo trabalho. “Drink1” trazia “Baby bem”, já com a voz de Boê, e o remix de “Ana”, faixa presente em “Flôres”. “Baldeação” e “Se envolvendo” estrearam em “Drink2”, enquanto “Abraço Laranja”, com a participação de Ibarra, e “Nuca” surgiram em “Drink3”. Todos os singles ganharam capas pintadas pelo pai do cantor, Ernani Camões, e dois deles ganharam vídeos detalhados chamados de “Dose”, trazendo o artista em seu home studio, onde explora as inspirações e samples por trás de “Drink Club”.

Enquanto as letras são permeadas por um lirismo sincero e rasgado, o lado musical do disco traz a marca plural de um trabalho construído com muitos colaboradores. Além das vozes convidadas, colaboradores usuais do artista, como Antonio Dal Bó, Giordano Bruno Gasperin e Julio Santa Cecília, marcam presença ao longo das faixas. Flertando com o boogie, o city pop, o R&B, a bossa, o vaporwave e o dream pop, entre sintetizadores e drum machines, Camões constrói um som inerentemente orgânico, calcado nas suas crônicas musicais sobre amores urbanos.

“Drink Club” vai ganhar os palcos em breve. O atual formato de show de Camões já esteve presente nos palcos da MangoLab, do Festival Rock The Mountain e do BAR Party Experience, dividindo o line up com artistas de peso como Azymuth, João Donato e Céu. Além disso tudo, Camões tem feito sucesso como DJ na sua festa mensal, a Delícia, que tem lotado as casas por onde passa, colocando todo mundo pra dançar Disco, House e Boogie Brasileiro.

VOCÊ TAMBÉM PODE CURTIR