Liga da Justiça de Zack Snyder | Crítica

A nova e melhorada Liga da Justiça

Análise sobre o filme “Liga da Justiça de Zack Snyder”, do diretor Zack Snyder, aqui no site Cebola Verde. Confira a ficha técnica da trama cinematográfica:

Nome: Liga da Justiça de Zack Snyder (Zack Snyder’s Justice League)

Estreia: 18 de março 2021 (Brasil) – 4h 03min

Direção: Zack Snyder

Elenco: Ben Affleck, Henry Cavill, Gal Gadot, Ezra Miller, Ray Fisher, Jason Momoa, Amy Adams e Jeremy Irons

Distribuidora: HBO Max

Gênero: Ação, Ficção Científica


Após uma comoção mundial em função da tag #RealeseSnyderCut, Warner ouviu os fãs e lançou a versão do diretor no dia 18 de março no HBO MAX e aluguel digital. A princípio, o filme está tecnicamente superior a versão, usando um filtro tirando a saturação do filme e realçando os tons mais escuros, dando uma carga dramática mais madura, característica do diretor. Outra mudança, porém, na minha visão foi negativa, foi o formato 4:3 de tela, não havia necessidade de fazer o filme naquele formato, sendo um ponto confuso.

Indo em uma visão mais técnica, os cortes estão bons, excludente uma única cena devendo ser um erro de edição, já no quesito slow motion, o diretor parece que abusou do recurso em cenas desnecessariamente, além de trilha sonoras desnecessárias e repetitivas, sim Mulher-Maravilha estou falando de você e a música das mulheres gritando por 6 vezes no filme. Falando em mudanças bruscas, a maior, além do tamanho do filme que dobrou de tamanho, temos um maior desenvolvimento de Ciborgue, Flash, Lobo da Estepe e adição de novos personagens para uma possível continuação: Iris West, Lanterna Verde, Caçador de Marte, Darkseid, DarSeed, Vovó Bondade, Coringa, Exterminador e Mera.

Abordando a história, ela é bem redonda, tendo sua introdução, mostrando o vilão do filme e seu objetivo, um desenvolvimento, mostrando as consequências de Batman vs Superman (2016) na vida dos personagens, além da procura por novos heróis para combater a ameaça iminente e por último a grande ameaça. Diferente da versão de 2017, todos os personagens tiveram, de certa maneira, um momento de desenvolvimento, principalmente com Ciborgue (Ray Fisher) e Flash (Ezra Miller), onde, no primeiro sua presença ficou deslocada no primeiro filme, neste já sabemos seus motivos para estar sempre triste com sua vida e encontra conforto com a Liga, já no segundo, ele perde as características de medroso e amador, recebendo uma aura confiante e brincalhona. O único ponto negativo foi não dar um papel mais presente para o Flash, sendo usado como bateria em momentos importantes no filme.

Liga da Justiça de Zack Snyder é um filme novo, redondo e beira à perfeição, sendo recheado de fan service, o filme deixa pontas para uma possível continuação para mais 5 filmes, com diversas ameaças enormes, podendo até começar a bater de frente com o Universo Cinematográfico Marvel. Enxergo muito que se a Warner não ficasse alterando o material original, muitos filmes que foram fiascos poderiam e muito alcançar notas maiores da crítica e público.

Liga da Justiça de Zack Snyder
Sinopse
Alimentado por sua fé restaurada na humanidade e inspirado pelo ato de altruísmo de Superman, Bruce Wayne busca a ajuda de sua nova aliada, Diana Prince, para encarar um inimigo ainda maior. Juntos, Batman e Mulher-Maravilha trabalham rapidamente para encontrar e recrutar um time de meta-humanos para encarar essa ameaça recém-desperta. Mas apesar da formação dessa liga sem precedentes de heróis – Batman, Mulher-Maravilha, Aquaman, Ciborgue e Flash – talvez seja tarde demais para salvar o planeta de um ataque de proporções catastróficas.
Atuação
Direção
Efeitos Especiais
Edição
Fotografia