INFILTRADO NA KLAN precisa ser visto urgentemente!

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp

Das diversas superproduções do ano de 2018, nenhuma me chamou tanto a atenção quanto a icônica e verossímil história que se passa em “Infiltrado na Klan“. Admito que foi um dos filmes mais aguardados por mim, não só por abordar diretamente questões como o racismo e de forma singela encaixar outros preconceitos na trama, mas também por mostrar uma perspectiva completamente diferente da qual se vê nos filmes adjacentes a esse, e com isso, expandir o horizonte cinematográfico em relação a filmes político-ideológicos.

A adaptação de Spike Lee trouxe uma vertente inovadora para o gênero em que o próprio nome já diz, trata-se de um policial do Colorado (Ron Stallworth) que decide entrar a nada mais, nada menos que a Ku Klux Klan, um movimento reacionário e extremista que defende ideologias de supremacia branca. Com a intenção de apimentar o enredo e envolver ainda mais o espectador para que ele deseje saber qual o desfecho, Ron, o policial infiltrado é negro. Convenhamos que não é algo muito convencional, portanto, outro policial (Flip Zimmerman) dessa vez branco, é encarregado de ir presencialmente às audições, reuniões e assembleias do grupo, só que Flip mesmo sendo branco, é judeu, com isso faz o filme proporcionar embates psicológicos e intimidatórios que levam o público a captar tensões a cada cena apreensiva.

Com um desenvolvimento nada habitual e tão fora de cogitação que se não fosse baseado em uma história real daríamos o braço a torcer para acreditar que tal façanha seria provável, “Infiltrado na Klan” apresenta uma história sólida e sensata, aborda assuntos importantes para a atualidade mesmo se passando na década de setenta, mostra o quão presente o racismo ainda é atualmente e nos tira risos quando menos esperamos, sem precisar praticar racismo em seu roteiro para que preconceituosos riam como ocorrem em outras produções. Um drama/policial que precisa ser visto, que precisa de notoriedade, mostrando a sua importância para o mundo e desse modo perpetuando a luta daqueles que são hostilizados todos os dias.


Novo Quadro: Opiniões do Tio Wilson!

VOCÊ TAMBÉM PODE CURTIR