‘Asterix e o Segredo da Poção Mágica’ chega ao Festival Varilux de Cinema Francês 2019

História original, a animação foi assistida por mais de 4 milhões de pessoas na França.

Famoso no mundo inteiro não só nos quadrinhos como nas telas do cinema, o gaulês Astérix volta ao Festival Varilux de Cinema Francês acompanhado do inseparável amigo Obelix. Vista por mais de quatro milhões de pessoas quando foi lançada no ano passado na França, a animação “Asterix e o Segredo da Poção Mágica” integra a seleção do evento com versões dubladas e legendadas, entre 6 e 19 de junho, e promete agradar toda a família.

Conduzido por Louis Clichy e Alexandre Astier – a mesma dupla que dirigiu “Asterix e o Domínio dos Deuses” exibido no festival em 2015 – a nova animação “Asterix e o Segredo da Poção Mágica” é uma história original desenvolvida especialmente para o cinema. Nela, Astérix e Obélix partem em uma jornada em busca de um novo guardião para a poção mágica da Gália. Na tentativa de impedir que a receita caia nas mãos erradas, os dois viverão incontáveis aventuras.

Criada em 1959 por René Goscinny e Albert Uderzo, as aventuras de Asterix e seus companheiros já foi publicada em 37 revistas e traduzida para mais de 100 línguas. Já foram produzidas nove animações e quatro longas-metragens live action, sendo que o primeiro filme “Asterix e Obélix contra César”, de 1999, foi protagonizado por Christian Clavier e o personagem de Obélix interpretado por Gerard Depardieu.

Esta nova produção levou quase cinco anos para ficar pronta. Diferente do filme anterior, que é uma adaptação dos quadrinhos, “Asterix e o Segredo da Poção Mágica” é uma história original roteirizada por Astier. Na divisão das tarefas, ele ficou majoritariamente com a construção do texto e Clichy com os desenhos.

“No começo, eu não achava que Uderzo (um dos criadores de Asterix, ainda vivo), a quem eu apresentaria o argumento, me daria os direitos para realizar esta história original”, diz Alexandre Astier. “A premissa de Asterix está fixada no tempo, é eterna:  a aldeia resiste, os romanos atacam e a poção mágica é salva. As aventuras tomam forma dentro disso. Esta nova história aborda um tópico que nunca foi abordado: a questão do que acontecerá se Panoramix não puder mais fazer a poção. Isso, eu sabia que seria difícil. Era necessário provar que ainda permaneceria fiel à premissa de Asterix, para não colocar a perder tudo o que foi construído ao longos dos anos.” E ele acrescenta: “No filme Asterix e o Domínio dos Deuses a ação se passava num ambiente controlado, tudo acontecia ao lado da aldeia. Esse novo filme é uma aventura que impulsiona nossos heróis a buscarem um candidato em toda a Gália. Existe a noção de jornada. Amplia o universo em relação ao primeiro filme”.

Do lado técnico, Louis Clichy diz: “Eu tive desafios muito técnicos. Eu queria conservar um aspecto de desenho animado, enquanto a animação em computação gráfica nos traz de volta ao realismo. Foi então necessário encontrar uma homogeneidade no design. Por exemplo, para o cabelo de Asterix, a ideia não é ver cabelos que parecem cabelos reais, mas ter cabelos que estejam no espírito dos quadrinhos. Estes são todos esses os pequenos detalhes que farão uma bela imagem e mostrarão que é claramente um filme de Asterix e não um filme semirrealista ou reminiscente de um videogame. Estou muito feliz com o resultado”.

Com distribuição da Bonfilm, “Asterix e o Segredo da Poção Mágica” tem previsão de estreia em circuito nacional no segundo semestre deste ano.

Volney Tolentino

Jovem dinâmico, que detém o poder central dos Cebolas Verdes; Um clã no interior (sigilo) da imensa África Subsaariana. Sua missão é fazer o bem como designer, crítico de cinema, professor de inglês e amante esportivo.

Estamos ao vivo!
CURRENTLY OFFLINE