Animais Fantásticos: Os Crimes de Grindelwald | Crítica

Análise sobre o filme “Animais Fantásticos: Os Crimes de Grindelwald”, da Warner Bros. Pictures (convite da Warner Bros. Pictures Brasil), aqui no site Cebola Verde.

Confira a ficha técnica da trama cinematográfica:

Nome: Animais Fantásticos: Os Crimes de Grindelwald (Fantastic Beats: The Crimes of Grindelwald)

Estreia: 15 de novembro de 2018 (Brasil) – 2h 14min

Direção: David Yates

Elenco: Eddie Redmayne, Katherine Waterston, Dan Fogler, Alison Sudol, Jude Law, Johnny Depp, Ezra Miller, Zoë Kravitz

Distribuidora: Warner Bros. Pictures


Depois dos acontecimentos emblemáticos do primeiro filme da saga “Animais Fantásticos“, o diretor David Yates retorna acompanhado do roteiro de J. K. Rowling para um “drama de série de TV”. Partindo da mesma premissa do seu antecessor, a estrutura se mantém (simples), porém um pouco mais lenta do que foi visto anteriormente.

Animais Fantásticos: Os Crimes de Grindelwald” se baseia meses após os eventos do primeiro filme, o qual foca um pouco mais na história de Alvo Dumbledore (Jude Law) e Gellert Grindelwald (Johnny Depp). Obviamente a trama não esquece de seu real protagonista, Newt Scamander (Eddie Redmayne), e seu adorável parceiro “non-magic”, Jacob Kowalski (Dan Fogler). E devo avisar que é preciso usar spoiler; também há o retorno do Credence (Ezra Miller), chave importantíssima na construção do enredo, cujo é totalmente medíocre e fraco.

Por se tratar do universo mágico de Harry Potter, com toda certeza o filme terá bilheteria significativa. Mas se não fosse do mesmo universo? Será que teria? O filme atribui características equivocadas em inúmeros momentos, enrolações de cenas – podendo ser totalmente descartadas, cujo espectador conseguiria entender sem nenhum problema – e repetições técnicas, dando a sensação de muito cansaço em duas horas e quinze de filme. Como eu tinha mostrado, o enredo é simples, se escondendo em seus incríveis efeitos especiais e cenas de lutas bem postadas. Infelizmente é apenas isso mesmo; Um drama de série de TV em cinco capítulos (já foram dois).

A direção de David Yates é simples como o filme, o roteiro de J. K. Rowling é a que deixa a desejar mesmo. E pode apostar que o filme terá apenas duas reações no fã: frenesi ou desgosto. Tal que, a edição pouco ajuda também, cujos cortes pouco são suaves, chegando a serem grosseiros e fora de timing (tempo).

O drama ganha por ser recheado de referências para os fãs da saga, menções e até mesmo personagens que já foram citados em Harry Potter. Mais uma vez, a Warner cumprindo bem feito os efeitos especiais, vestimentas, ambientação e uma trilha sonora pouco marcante, todavia bem utilizada. Nesses fatores, é bastante agradável; E sim, somos apresentados a mais criaturinhas fantásticas!

Com um elenco invejável, o nível de atuação é muito bom e consegue entregar o que queria – tirando algumas ressalvas -. Eddie Redmayne continua fazendo um ótimo Newt Scamander, introspectivo e muito sábio. Mais uma vez, ele é o único que pode colocar ordem na casa e o qual tem a permissão de Alvo Dumbledore, interpretado por Jude Law, representando muito bem um professor mágico e super poderoso – o que todos queriam realmente ver! Já o famoso hollywoodiano de tantos filmes marcantes e blockbuster, Johnny Depp retorna com muito mais tempo de tela como Gellert Grindelwald, já que detém o nome da atração. O bruxo é bem representado pelo Sr. Depp, aliás, seu jeito icônico dá o ar da graça em Grindelwald, que mostra explicitamente o porquê de ter voltado. Outro personagem que vale destacar é o Credence, interpretado por Ezra Miller, que pouco agradou-me. Não a atuação em si do Sr. Miller, mas sim o que foi designado a ele em todo filme; a proposta, no geral, e também possui uma das cenas mais “novela mexicana de bruxos” de todos os tempos do cinema, junto com Zoë Kravitz (Leta Lestrange) e William Nadylam (Yusuf Kama). E claro, vemos a cobra Nagini em pessoa – com raros momentos de tela -, interpretada por Claudia Kim.

Diante dos fatos supracitados, “Animais Fantásticos: Os Crimes de Grindelwald” parece ter sido feito apenas para dizer que foi uma continuação, cujo os momentos finais valem pelo filme todo com uma revelação estrondosa e bastante questionável. Lembrando o que eu tinha citado, poderá dar duas reações no fã: frenesi ou desgosto. J. K. Rowling também confirma bastante coisa vista em fanfics da internet, vale salientar isto! Ele clama por um filme sucessor para revelar mais situações do que aconteceram e desvendar outros mistérios. Digamos, um filme de transição, apenas. Todavia poderá ser um filme para passar o tempo e ser nostálgico para os fãs da saga, já para a galera que não conhece o universo Harry Potter, é apenas um filme normal e cansativo.

Notas
  • Atuação
  • Direção
  • Efeitos Especiais
  • Edição
  • Roteiro
  • Trilha Sonora
3

Sinopse

Newt Scamander (Eddie Redmayne) reencontra os queridos amigos Tina Goldstein (Katherine Waterston), Queenie Goldstein (Alison Sudol) e Jacob Kowalski (Dan Fogler). Ele é recrutado pelo seu antigo professor em Hogwarts, Alvo Dumbledore (Jude Law), para enfrentar o terrível bruxo das trevas Gellert Grindelwald (Johnny Depp), que escapou da custódia da MACUSA (Congresso Mágico dos EUA) e reúne seguidores, dividindo o mundo entre seres de magos sangue puro e seres não-mágicos.

Volney Tolentino

Jovem dinâmico, que detém o poder central dos Cebolas Verdes; Um clã no interior (sigilo) da imensa África Subsaariana. Sua missão é fazer o bem como designer, crítico de cinema, professor de inglês e amante esportivo.

Estamos ao vivo!
CURRENTLY OFFLINE