Alita: Anjo de Combate | Crítica

Análise sobre o filme “Alita: Anjo de Combate”, da 20th Century Fox (convite da Fox Film do Brasil), aqui no site Cebola Verde. Confira a ficha técnica da trama cinematográfica:

Nome: Alita: Anjo de Combate (Alita: Battle Angel)

Estreia: 14 de fevereiro de 2019 (Brasil) – 2h 02min

Direção: Robert Rodriguez

Elenco: Rosa Salazar, Christoph Waltz, Jenniffer Connelly, Mahershala Ali, Ed Skrein, Jackie Earle Haley, Keean Johnson, Lana Condor

Distribuidora: Fox Film do Brasil


Com nomes de sucesso na produção do filme como o grande James Cameron – autor de “Avatar“, sucesso em bilheteria – e Jon Ladau, a trama de ficção científica e de ação, que se baseia no mangá de Yukito Kishiro, consegue fazer o espectador imergir em tais ocasiões do futuro, como no mangá, mesmo se tratando de um assunto super questionável (situações de um futuro iminente). Ainda mais, puxando o lado humano com o lado robótico, em um só. Parecido com “Ghost in the Shell”, não?

Robert Rodriguez teve que se contentar com inúmeros adiamentos de sua obra, cujo filme teve sua primeira data de lançamento para julho do ano passado (2018), e depois de outras datas, Alita enfim irá ir às telonas no dia 14 de fevereiro. Contudo, será que foi de suma importância tais postergações? Talvez os fãs do mangá irão se aventurar bastante no roteiro, que apresenta construções relacionais dos personagens bem moldadas e informações importantes a todo momento, tudo isso ao longo dos três atos. E claro, pode apostar que os novos admiradores irão comprar a ideia futurística com tais propriedades de “Alita“.

Obviamente, um dos pontos mais positivos do filme são os Efeitos Especiais; A palavra correta para dizê-los sobre seria “impecáveis”! Alita é uma ciborgue e seus efeitos são praticamente todos em computação gráfica, mas ao longo da trama consegue-se vê-la como uma verdadeira humana, interpretada por Rosa Salazar. Toda a sua busca por saber quem ela foi e é, acaba sendo muito fluido. Outro destaque é à atriz Idara Victor como Enfermeira Gerhad, ajudante do Doutor Dyson Ido (Christopher Waltz), ela não teve fala, todavia conseguia demonstrar suas emoções apenas pelo olhar. Sendo assim, por si só, o filme é bastante expressivo e todas as personalidades foram muito bem definidas.

Vale salientar que, a forma que os efeitos foram usados no jogo de Motorball – correndo e jogando -, fazem o espectador ficar ainda mais vidrado nas cenas, pois você fica querendo se aproximar ainda mais da tela pra notar cada detalhe.

Cortes no momento certo, claro, fortalecendo o uso do CGI, e também emocionantes cenas de ação. Muito parecido com os quatro primeiro volumes do mangá.

Diante dos fatos supracitados, “Alita: Anjo de Combate” é um filme, que apesar de toda ação e “assuntos paralelos”, sempre deixa presente a vontade de lutar por si, pela sua liberdade, por quem você é e no que acredita. Uma das frases mais marcantes do filme foi “Você vive pelas regras de quem?”. É o que talvez identifica a história do filme, como Alita volta a ser dona de si e do seu futuro.

Edição por Volney Tolentino.

Notas
  • Atuação
  • Direção
  • Edição
  • Efeitos Especiais
  • Roteiro
  • Trilha Sonora
3.9

Sinopse

Uma ciborgue é descoberta por um cientista. Ela não tem memórias de sua criação, mas possui grande conhecimento de artes marciais. Enquanto busca informações sobre seu passado, trabalha como caçadora de recompensas e descobre um interesse amoroso.

Estamos ao vivo!
CURRENTLY OFFLINE