Salvador irá sediar a primeira edição na América Latina de festival de cinema negro

11 de dezembro de 2019

Publicado por Volney Tolentino

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no Facebook
Compartilhar no twitter
Tuíte isso
Compartilhar no whatsapp
Enviar no Whatsapp

O Salvador Black Film Festival (SBFF) movimentará em novembro de 2020 a capital baiana, cidade que abriga uma das maiores populações negras fora da África. O Festival foi lançado na última semana, durante coquetel para imprensa e convidados, no Espaço Cultural da Barroquinha, no Templo Afro-Brasileiro, em Salvador. Será a primeira edição na América Latina do festival de cinema negro, que já é realizado com sucesso no Canadá, nos Estados Unidos e no Haiti.

O Salvador Black Film Festival é uma parceria da Giros Filmes e da Zaza Produções, com apoio institucional da Prefeitura de Salvador. O evento é filiado aos festivais de cinema negro canadenses da Fabienne Colas Foundation – que engloba o Montreal Intl Black Film Festival, o Toronto Black Film Festival e o Halifax Black Film Festival. Apelidada de “Rainha dos Festivais”, Fabienne tem mais de duas décadas de experiência em festivais.

“O objetivo de trazer o Black Film Festival para Salvador é desenvolver a indústria local, os artistas e diretores baianos. É importante mostrar filmes negros para empoderar a próxima geração de cineastas, para que possamos ter produções de Salvador ganhando o mundo”, ressaltou Fabienne Colas, cofundadora da SBFF, presidente e fundadora da Zaza Produções e da Fundação Fabienne Colas.

Em seu discurso, o cofundador do SBFF e CEO da Giros Filmes, Maurício Magalhães, destacou a experiência da produtora de 22 anos “fazendo filmes, que apelidamos de filmes de causa, como o ‘Menino 23 – Infâncias Perdidas no Brasil”. Ele avalia que a realização do Salvador Black Film Festival vai trazer novamente para a cidade o protagonismo que ela merece, como no tempo de Glauber Rocha, que chegou a ser premiado com um Cannes. “A gente, para ser melhor ainda, precisa intercambiar, se unir, apesar das diferenças, em prol de coisas maiores”, concluiu Maurício.

Acompanhado do secretário de Cultura e Turismo de Salvador, Claudio Tinoco, o prefeito, ACM Neto, destacou a importância da realização do Salvador Black Film Festival para a cultura e economia da cidade. “Estamos enxergando o potencial criativo que todos os elementos da cultura africana tem para nossa cidade. Faz parte de uma estratégica econômica de transformar Salvador num destino de turístico étnico, de dá condições para o fomento da produção audiovisual local, além de disseminar a economia criativa, que é muito próprio da nossa cidade”.

A Revolta dos Malês – Após o lançamento do Salvador Black Filme Festival, o público foi convidado para a avant première de “A Revolta dos Malês”, longa de ficção dirigido por Jeferson De e produzido por Belisario Franca. Estiveram presentes na pré-estreia os atores Rodrigo Santos e Shirley Cruz, protagonista do longa. A Revolta dos Malês é um longa ficção, que mescla cinema e teatro, baseado em um episódio da história brasileira ainda pouco conhecido: a revolta de escravos muçulmanos ocorrida em Salvador, no ano de 1835. O longa-metragem vai revisitar os principais acontecimentos e personagens da revolta através do ponto de vista de Guilhermina, uma escrava de origem muçulmana que sonha em dar à Teresa, sua filha adolescente, a oportunidade de viver em liberdade.

© 2020. Cebola Verde - "Versão 4.0: Cebolovers" / Developed by Mattz

DESCASCANDO!
CURRENTLY OFFLINE