HBO lança documentário ‘Breslin e Hamill: As vozes de Nova York’

Na contramão da era das fake news, o documentário mostra a carreira de dois pioneiros do New Journalism.

Escritores brilhantes, vozes da classe trabalhadora e ícones mundialmente reconhecidos, Jimmy Breslin e Pete Hamill marcaram a era do jornalismo impresso em Nova York. Mostrando a vida e a carreira dos protagonistas, o documentário BRESLIN E HAMILL: AS VOZES DE NOVA YORK (BRESLIN AND HAMILL: DEADLINE ARTISTS) estreia em 29 de abril, às 22h, no canal HBO e na HBO GO.

Durante cinco décadas, os dois jornalistas falaram com pessoas comuns e fizeram reportagens cheias de paixão, sagacidade e qualidade literária sobre Nova York e os Estados Unidos. Seus textos abordaram questões como racismo e classes sociais com muita sensibilidade, em uma época em que o jornalismo impresso produzido na cidade era sinônimo de efervescência e glamour.

Nascidos e criados em bairros operários de Nova York, Jimmy Breslin e Pete Hamill são filhos de famílias irlandesas-americanas. Trabalhando para jornais concorrentes ou nas mesmas redações, eles cresceram no jornalismo sem diplomas universitários e se tornaram grandes amigos, que se desafiavam e se inspiravam mutuamente.

A partir da década de 60, Jimmy Breslin e Pete Hamill se tornaram nomes conhecidos por escreverem constantemente para publicações como New York Herald Tribune, Daily News, Newsday e New York Post. Os amigos foram pioneiros do estilo que ficou conhecido como New Journalism, caracterizado pela introdução do estilo literário de contar histórias nos textos de notícias, além do compromisso de relatar os fatos do ponto de vista de homens e mulheres comuns.

Breslin e Hamill foram personagens polêmicos e o dia a dia deles também passou a interessar ao público. Entre os grandes acontecimentos que os dois cobriram estão os assassinatos dos Kennedy, as mortes de Bernhard Goetz e de Son of Sam, o auge da AIDS, os casos Crown Heights e dos corredores do Central Park, além dos ataques terroristas de 11 de setembro.

BRESLIN E HAMILL: AS VOZES DE NOVA YORK exibe imagens raras e entrevistas com Hamill e Breslin (que morreu em 2017), além da contribuição de pessoas que os conheceram muito bem, como integrantes das suas famílias, personalidades do universo cultural e grandes jornalistas e editores. Entre os nomes estão Tom Wolfe, Guy Talese, Gail Collins, Gloria Steinem, Spike Lee, Colin Quinn, Robert De Niro, Shirley MacLaine, Andrew Cuomo, Shane Smith, James Duff, Earl Caldwell, Richard Esposito, Mike Lupica, Sam Roberts, Charlie Carillo, Robert Krulwich e Garry Trudeau.

Temperado com o humor e o estilo que eles personificaram, o documentário exibe um retrato comovente de dois grandes profissionais que sintetizaram Nova York durante a última e grande década do jornalismo escrito, cujo pioneirismo é reconhecido até hoje. No longa, Michael Rispoli (THE DEUCE, da HBO) faz a locução dos textos escritos por Breslin, enquanto Hamill lê seus próprios trabalhos.

A direção e produção de BRESLIN E HAMILL: AS VOZES DE NOVA YORK é de Jonathan Alter, John Block e Steve McCarthy, a edição é de Geof Bartz, A.C.E. e Angela Gandini. A direção de fotografia é de Steve McCarthy, a locução é de Jimmy Breslin e Michael Rispoli, e música original é de Wendy Blackstone. Nancy Abraham, da HBO Documentary Films, é produtora executiva.

Volney Tolentino

Jovem dinâmico, que detém o poder central dos Cebolas Verdes; Um clã no interior (sigilo) da imensa África Subsaariana. Sua missão é fazer o bem como designer, crítico de cinema, professor de inglês e amante esportivo.

Estamos ao vivo!
CURRENTLY OFFLINE