Testamos o grandioso JUMP FORCE na BRASIL GAME SHOW 2018

Indiscutivelmente bonito graficamente, mas apenas isso.

—————————————————————————————————————————————-

Com a promessa de gameplay com troca de Personagens e com o auxilio de personagens, o jogo parecia ser a grande aposta da Bandai para o começo do ano que vem, o problema na verdade começa quando aparece “Fight” na tela.

Apesar de estar em fase de testes, a taxa de quadros é muito desregulada, fazendo o combate ficar confuso muitas vezes por erros do próprio game, sendo que em seu estagio de produção (Algo visto pelos trailers e também pelo apelo gráfico que ele tem) isso não deveria acontecer!

Outro aspecto negativo do game são os golpes, que apesar de serem animados de maneira surpreendentemente elegante, são muito repetitivos e confusos, pois a inteligencia de acessibilidade do jogo sabe apontar uma lista de especiais mas peca ao mostrar como isso pode se mesclar a um especial ou algo assim, deixando muito a mercê de uma técnica do jogador que simplesmente aprendeu os controles básicos 30 segundos antes do combate.

Um detalhe que chega a ser irônico é que, apesar de propagar que é a grande reunião dos maiores personagens da Shonen Jump que faz seus 50 anos, os personagens são todos iguais em quesito de lista de golpes e combos, apenas trocando animações e sprites, sendo que em tese, teria que ter um certo empenho da equipe responsável em trabalhar cada personagem com suas peculiaridades.

Por fim, Jump Force está lindo, mas teremos que esperar até seu lançamento para retirar a duvida se será bom… Ou uma bomba.

Jump Force estréia em Fevereiro de 2019 para PC, Xbox One e Playstation 4.

Lucca Magro

Aspirante a repórter e poeta nas horas vagas.

Estamos ao vivo!
CURRENTLY OFFLINE