Internet – O Filme | Crítica

Análise sobre o filme Internet – O Filme da Paris Filmes, aqui no site Cebola Verde. Confira a ficha técnica do filme:

Nome do Filme: Internet – O Filme

Estreia: 23 de fevereiro de 2017 – 1h 36min

Direção: Filippo Capuzzi Lapietra

Elenco: Julio Cocielo, Felipe Castanhari, Rafinha Bastos, Mr. Poladoful, Cauê Moura, Rafael Cellbit, Thaynara OG, Patrícia dos Reis, Gusta Stockler, Teddy, Mauro Nakada, Paulinho Serra, Igão Underground, Gabi Lopes, Polly Marinho, Mr. Catra, Victor Meyniel, Micheli Machado, Maurício Meirelles

Distribuidora: Paris Pictures


A aposta para um filme de YouTubers (aqueles que compartilham vídeos pela a plataforma do YouTube) é realmente bastante arriscada, já que a maior parte do elenco não é formada por atores e atrizes. O longa tem vários aspectos incompreensíveis, mas há uma fraca luz no fim do túnel – obviamente, em seus desfechos. Aqueles que não costumam assistir vídeos de tais celebridades da internet, nem ouse entender as piadas, são internas. Ou seja, abrange mais o público jovem e despojado que acompanha os canais.

A trama é baseada em várias estórias diferentes e as mesmas não têm ligação nenhuma; apenas a parte do Mendigo (Muca Muriçoca) e o cachorro Brioco que consegue ter uma ponta em cada, mas nada que agrupe as estórias. Não há um protagonista, porém existe um antagonista. É até um fato interessante e inovador, já que o personagem Uesley de Gusta Stockler é o mala do filme. As festas ou encontros usualmente frequentados por esses YouTubers foram bem retratados. As atuações iniciais não convencem e não dão persuasão ao espectador, a famosa confiança no que está assistindo. É relevante falar que alguns personagens interpretam a si mesmo, enquanto outros não. Porém, certas atuações são engraçadas e dão para relevar, pois são inesperadas, a essência do humor. Frisando que certos personagens são interpretados por atores já formados e conhecidos nesse ramo, como o Rafinha Bastos, Paulinho Serra e Priscila Marinho, o que é notável a diferença. É complicado saber o que o diretor quis passar com esse filme e a proposta; Promover os YouTubers? Porque alguns chegam a ser descartáveis e não fariam a mínima diferença se não estivesse no filme. E não seria melhor se chamar “YouTube Brasil – O Filme”? Já que é citado mais a plataforma e algumas mídias sociais do que a internet em geral.

O filme não é todo confuso assim, conseguiu tirar risadas – já que é comédia, uma quase obrigação; há piadas bem elaboradas e outras bem agrestes. E óbvio que não poderia faltar indiretas e diretas! A interação entre os personagens são boas, vale ressaltar que trabalhar com amigos, é muito mais fácil e promissor, mas falta profissionalismo. O mesmo tentou retratar certas cenas com edições marcantes do YouTube, como “Turn Down for What” e padrões de vídeos, algumas foram bem utilizadas e outras não necessitavam de tais efeitos. Como é um filme de “Internet”, é até compreensível. A trilha sonora é pop e bastante despojada, já que é a cara da plataforma; descarte a música da cena pós-crédito, porque é indelicada.

É entregue um prato vazio com migalhas e piadas que funcionam alguma hora. Nessa montanha-russa ao que diz respeito no que dá certo e não dá ao longo do filme, o clímax final dá um pequeno alívio. Como já tinha dito, com toda certeza o filme será para aqueles que acompanham os canais e agradará os mesmos. Porém fica visível alguns erros e contradições na abordagem do tema.

Volney Tolentino

Designer Gráfico, Editor, Técnico de Mecânica Industrial, Nerd, Geek, Hipster Incubado, Fundador da Wing_Storm Entertainment, Protestante, Torcedor do New England Patriots, Los Angeles Lakers e Clube de Regatas do Flamengo e Dono na Thyskens Productions.

Estamos ao vivo!
CURRENTLY OFFLINE