Esquadrão Suicida | Crítica

Análise sobre o filme Esquadrão Suicida da DC Comics, aqui no Cebola Verde. Confira a ficha técnica do filme:

Nome do Filme: Esquadrão Suicida (Suicide Squad)

Estreia: 04 de agosto de 2016 (Brasil)

Direção: David Ayer

Elenco: Will Smith, Jared Leto, Margot Robbie, Jai Courtney, Cara Delevingne, Viola Davis, Joel Kinnaman, Jay Hernandez, Karen Fukuhara, Adewale

Distribuidora: WARNER BROS.


O filme Esquadrão Suicida reúne os “vilões” secundários da DC Comics para tentar salvar o mundo. Já que, com a morte do Homem de Aço no Batman vs. Superman, o mundo está vulnerável e precisa de pessoas capacitadas para limpar a sujeira. Pode partir do princípio da nova era DC nos cinemas, já que nas animações, ela é uma das melhores!

Enfim, o filme é muito dinâmico, muito mesmo, e contém mais alívio cômico, para os padrões DC “sombrio”. Já condiz com os pôsteres bem mais coloridos e a trilha sonora bem ousada, vulgo Spotify. Os efeitos visuais dão pra ser “carregados” (a pessoa com quem vos fala assistiu em 2D), não me impressionaram tanto* e acredito que isso não era pra ser muito explícito ou mesmo o foco do filme. Diferente de muitas críticas, vista no Rotten Tomatoes, houve destaques, é claro, mas todos os personagens ajudaram de uma maneira significativa, não ficou enjoativo. O ruim foi o grande dinamismo, sem um argumento mais profundo e bem elaborado. O Pistoleiro (Will Smith) e Arlequina (Margot Robbie) foram os destaques, é claro; o seu grande potencial como ator, trazendo um dos vilões principais do Homem Morcego e a carismática Arlequina, “esposa” do tenebroso Coringa, arqui-inimigo do Cavaleiro das Trevas.

No filme mesmo, quem conhece a base dos quadrinhos, saberia quando aparecia o Flash e Batman, e todas as partes impactantes (tirando o final, que é bom, agradável) foram retiradas do Trailer. Outro fator importante a ser lembrado, é que neste filme há uma cena pós-crédito super importante para as continuações.

Agora, o Coringa (Jared Leto). Em alguns momentos deu um desconforto, todavia devo admitir que não ficou tão horrível assim. O que parecia nas divulgações era uma coisa mais macabra, mas infelizmente, tudo de interessante foi postado no trailer, o que quebrou muito. O que mais deu satisfação mesmo foi as risadas, fora disso, não foi visto algo de “surreal” por parte dele.

NOTA: *Eu fiz curso de efeitos visuais. Sei quando são bem trabalhadas e o quão complicadas são.

Volney Tolentino

Designer Gráfico, Editor, Técnico de Mecânica Industrial, Nerd, Geek, Hipster Incubado, Fundador da Wing_Storm Entertainment, Protestante, Torcedor do New England Patriots, Los Angeles Lakers e Clube de Regatas do Flamengo e Dono na Thyskens Productions.

Estamos ao vivo!
CURRENTLY OFFLINE