Bright | Crítica

Análise sobre o filme Bright da Netflix, aqui no site Cebola Verde. Confira a ficha técnica da trama cinematográfica:

Nome: Bright

Estreia: 22 de dezembro de 2017 – 1h 58min

Direção: David Ayer

Elenco: Will Smith, Joel Edgerton, Lucy Fry, Noomi Rapace, Édgar Ramírez, Enrique Murciano, Ike Barinholtz e Jay Hernandez

Distribuidora: Netflix


Trazendo uma junção do mundo de fantasia com polícia e tempos atuais, temos Bright. O universo do mundo se baseia em LA só que um pouco peculiar, com humanos, orcs e elfos dividindo a cidade, parte burguesa tomada por elfos, o ghetto por orcs e humanos entre os dois. A ideia de fusão de tempos atuais e um mundo de fantasia me pareceram muito boa, e particularmente adorei, mas como nem tudo que reluz é ouro o filme possui defeitos que acabam deixando o filme pouco imersivo.

Começando pela atuação, a achei bem fraca, com exceção de Will Smith (Scott Ward) e seu companheiro Joel Edgerton (Nick Jakoby), que conseguiram fazer uma dupla policial bem equilibrada. Os personagens em geral são pouco convincentes, já que em uma das grandes falhas do filme é a falta da origem de tudo e todos, deixando-os rasos e pouco atrativos, pois não sabemos seu propósito.

Algo que merece ser comentado é a ambientação do filme, a qual a cada lugar que o trio passa nota-se que é muito bem trabalhada, retratando o ghetto como ele realmente é. A trilha sonora é bem encaixada e boa de escutar, não há o que se reclamar sobre. Os efeitos apesar de serem um pouco exagerados em alguns momentos, são muito bem produzidos e bonitos. O grande problema do filme já foi citado, porém merece um aprofundamento. O filme inteiro se baseia em impedir o ressurgimento do “senhor do mal” o qual pouco se fala sobre, e não se explica das guerras passadas entre os povos e como a magia surgiu, deixando o filme bem confuso (e um pouco irritante para os curiosos), o que o deixa muito pouco explorado e um pouco mal desenvolvido, já que temos duas horas de filme e nada se fala os acontecimentos antigos.

O filme em si é muito legal de se assistir, já que seu desenvolvimento é bem rápido, tem cenas de ação constantes e bem balanceadas no humor. Um filme perfeito para um dia sem nada para fazer, ótimo para passar o tempo!

Notas
  • Atuação
  • Direção
  • Edição
  • Efeitos Especiais
  • Roteiro
  • Trilha Sonora
3.4

Sinopse

Em um mundo futurista, seres humanos convivem em harmônia com seres fantásticos, como fadas e ogros. Mesmo nesse cenário infrações da lei acontecem e um policial humano (Will Smith) especializado em crimes mágicos é obrigado a trabalhar junto com um orc (Joel Edgerton) para evitar que uma poderosa arma caia nas mãos erradas.

Yan Dantas

Crítico iniciante, amante de jogos em geral, 18 e carioca.

Estamos ao vivo!
CURRENTLY OFFLINE